11 de jun de 2017

Ao abrir os olhos #2 || Acorde, seu destino lhe chama!

Hello.. Its me!!
Hey penguins, tudo bom com vocês? Hoje trago o segundo capítulo de Ao abrir os olhos! Minhas sinceras desculpas pela demora do capítulo, mas não estive on-line por motivos pessoais, espero que entendam. Agora, vamos ao segundo capítulo!

Capítulo anterior aqui
Meus cabelos pairavam pelo ar enquanto sinto meu rosto em algo sólido e frio, como o ódio. É... O chão? Me esforço para levantar, me segurando firme na parede. Até que percebi que aquele lugar era todo 3D e ainda por cima era cheio de grama! Ando pelo lugar, com pensamentos longe. Até que caio em uma pedra, e começo a voar, e de repente, desmaio enquanto voo. Poxa, interromperam minha viagem!
Mente: ??
Novamente, no vácuo. 
- Olá Cristian! O mago do Tempo me anunciou sua chegada. 
- Eu ainda quero saber, que diabos é esse mago?
- Você saberá em breve, aprendiz.
- Eu percebi que... Ele tem as mesma características que meu.. pai.
- Se..Seu pai? Cl..a..ro que nãooo!! Ele é super diferente de seu pai! Preste atenção Cristian, você terá uma longa caminhada, e uma delas é você lutar contra seus próprio parentes.
- PARENTES?!
- Certeza. Agora, você está onde eu lhe comentei. Sua primeira luta é hoje! Ou você luta como um homem, ou se escondi igual á um saco de batata. Agora, acorde. Seu destino lhe chame!
DIMENSÃO: ??
Abro os olhos e ainda estou voando. Vejo um Outdoor gigante, escrito Píer do Farol. Mas o que é Píer do Farol, afinal? Horas bolas! Minha mente é louca. Vejo vários pinguins em uma velocidade de 6 segundos, o evento era muito forte e me sugava igual o portal. Então, finalmente, está na hora do pacto: POW? Não! O vento me desviou da parede, fazendo assim com que eu voasse para cima. Droga! Outro Outdoor. Agora estava escrito Monte Nevasca. E vou voando até o vento me leva a esquerda e me bater em uma parede de pedras. Urgh! Tampou a saída, eu estava em uma caverna. Eu tenho que enfrentar esse "louco" que minha mente mandou. Então, ando na ponta dos pés, e vejo uma figura preta um pouco distante. Não fale com migo, figura obscura!
- QUEM É VOCÊ?- Indaga a figura.
Que droga. 
- Sou um pinguim chamado Cristian!
Minha mente fala comigo, mas dessa vez, não no vácuo.
'Indaga a ele se ele libera a passagem secreta para as cavernas marinhas!'
- Err... Você me libera a passagem secreta para as cavernas marinhas?- Indago, com a voz trêmula.
Minha mente resmunga falando comigo.
- Você conhece? Para desbloquear, você terá que batalhar com migo!- A figura se sai da escuridão e surge- Era lindo demais para morrer.
Percebi que não seria fácil: Ele tava com um chicote na mão.
' Faça o reverso de todo golpe que ele faz, está me OUVINDO?!'- Exclama minha mente.
Então, ele começa, chicoteando o teto da caverna, fazendo assim com que uma pedra caísse. ' Qual seria o reverso disso, no caso?' penso. Então, se ele chicoteou para cima, tenho que ir por baixo! Me encolhi e pela primeira virei um tatu-bola (ou o Sonic). Eu girei com tanta força, que ele voou pelo ares, e eu fiquei zonzo. Agora, ele queria me chicotear. Ele chicoteou para frente. ' O reverso de frente, atrás. Atrás é o lado dele, pois estou na frente'. Enquanto a longa corda se estende, eu me treinei para que desse certo. No último momento que a corda ia me agarrar, eu segurei a corda pelas nadadeiras e joguei ela para trás, fazendo com que assim, ele caísse de cara atrás de mim. O impacto foi tão forte, que o corpo dele escavou incrivelmente todo o chão da caverna. Ele estava todo roxo, me sinto culpado.
- Eu te ajudo.- Exclamo.
Estendo minha nadadeira, e ele sobe.
- A entrada é logo ali, pode ir, mas nunca mais me enfrente! - Exclama ele.
Eu vejo a entrada, e entro nela. Que outras aventuras me aguardam nas cavernas marinhas?
CONTINUA...