23 de jun de 2017

Capítulo 3 | Scream, Penguin!

Olá, pinguins!

No último episódio de "Scream, Penguin!", Blaztox descobriu desenhos macabros de Mister, e Lilluane, encontrou uma caixa, com a máscara e o capuz do assassino, no quarto de seu irmão. Rico, Sponge e Blaztox, descobriram muitos segredos no iglu de Sandy, inclusive um papel, escrito "Bili".


Escola, Club Penguin, 8:30 AM.

Blaztox, Rico e Sponge, estavam chegando na escola, e, com a mensagem que receberam no dia anterior, do assassino, foram direto procurar Bili.
- Será que o assassino já está com ela? - pergunta Blaztox, assustado.
- Eu não sei, espero que não. Vamos ver se ela veio na escola hoje. - diz Rico.
Os pinguins entraram na escola, e viram Bryan, o amigo da Bili, e perguntaram pra ele.
- Bryan! Você viu a Bili por aqui? - pergunta Rico.
- Hmm... não, eu acabei de chegar, mas, acho que ela já foi para a sala de aula. - responde Bryan.
- Ok, obrigado! - diz Rico agradecendo.
- Por nada! - responde Bryan.
Entraram na sala de aula, e viram Bili e Lilluane sentadas, sozinhas. Os pinguins ficaram aliviados de encontrá-las.
- Olá pessoal! - diz Bili.
- Oi Bili! - diz Rico e Sponge juntos.
- Vocês viram a mensagem que eu mandei? - pergunta Lilluane.
- Sim, nós vimos - responde Sponge.
- Acham que é ele? Não é possível, conheço muito bem o Mister, não acho que ele seria capaz de fazer isso! - exclama Lilluane.
- Calma, não é o seu irmão. Nós achamos que o assassino que colocou a caixa, com a máscara e o capuz, no quarto do Mister. - diz Sponge.
- Pode ser, não tinha pensado nisso... - diz Lilluane.
- Tá, mas, e se não for? Eu ainda acho que ele é o assassino... - diz Blaztox.
Depois, o sinal tocou e todos os outros pinguins entraram na classe, inclusive Mister. Blaztox ficou encarando ele a aula inteira, e ele continuou com aqueles desenhos suspeitos. 
- Ei, Lilluane. No intervalo, eu e o Sponge precisamos falar um negócio pra você, e, não conte para a Bili! - murmura Rico.
- Ok, mas, sobre o que se trata? - pergunta Lilluane.
- No intervalo eu te conto. - responde Rico.
Quando tocou o sinal, os pinguins saíram da sala de aula, Rico e Sponge foram direto contar para Lilluane o que ocorreu no dia anterior. Ela ficou muito assustada, e disse:
- Como assim?! Ele quis dizer que o próximo é a Bili?!
- Sim... - diz Sponge.
- Você sabe se ela tem algum compromisso hoje, sei lá, algo do tipo? - pergunta Rico.
- Ah, ela tem um encontro hoje com o Bryan, ás 18:00. - responde Lilluane.
- Ah não, isso é um sinal ruim... se o assassino estiver sabendo, ele vai atacar os dois! - diz Rico.
- Espera, e se, quando o assassino nos falou que o próximo é a Bili, ele não quis dizer isso, ele quis dizer que o próximo é alguém que a Bili ama? - diz Sponge.
- Cara, você é um gênio! Pode ser isso! - diz Rico.
- Lilluane, você tem que convencer a Bili para adiar o encontro com o Bryan! Por favor, tente fazer isso. - diz Sponge.
- Ok! Vou na casa dela hoje a tarde, eu ia ajudar ela com o encontro, mas, vou tentar. - responde Lilluane.
- Ok, avisa a gente. - diz Sponge.
- Aviso sim. - responde Lilluane.

Iglu de Bili, Club Penguin, 17:00 PM.

Bili estava se preparando para o encontro, quando tocou a campainha de seu iglu, e ela foi ver quem tinha chegado.
- Olá, Lilluane! - diz Bili.
- Oi Bili! - diz Lilluane.
- Eu estava me preparando para o encontro com o Bryan, pode me ajudar? - pergunta Bili
- Claro! Afinal, vim aqui pra isso. - responde Lilluane.
Quando Lilluane chegou no quarto da Bili, lembrou que devia impedir ela de ir ao encontro, e disse a ela:
- Bili, você não acha melhor deixar esse encontro para outro dia? Hmm... que tal no dia do aniversário do Bryan? Vai ser daqui a poucos dias, vocês podem combinar...
- Mas é claro que não! É óbvio que no dia do aniversário dele, ele vai querer comemorar com a família dele... bom, já está quase na hora, é melhor eu ir. - responde Bili.
- Tudo bem... boa sorte com o encontro. - diz Lilluane.
Quando Bili saiu de seu iglu, Lilluane pegou o celular, e ligou para Rico.
- Oi Lilluane! Deu certo com a Bili? - pergunta Rico.
- Não... ela foi para o encontro, acho melhor vocês virem para ajudá-la. - responde Lilluane.
- Ok, vou chamar o Sponge e o Blaztox, se for preciso, chamo a polícia... espera, você sabe onde será o encontro? - pergunta Rico.
- Não, ela não me falou. - responde Lilluane.
- Ah... tem certeza que você não lembra de alguma coisa que ela te falou? - pergunta Rico novamente.
- Não... espera, tem sim! Eu lembro que ela falou que eles iam tomar um café. - responde Lilluane.
- Perfeito! Vamos até o café. - diz Rico.

Café, Club Penguin, 18:00 PM.

Bili entrou no Café, mas, não encontrou Bryan, e viu uma carta, em cima de uma mesa, que estava escrito: "Olá, Bili! Me encontre no Parque dos Puffles!". Logo em seguida, ela deixou a carta em cima da mesa, e foi direto ao Parque dos Puffles. Um pouco depois que ela saiu, Sponge, Rico, Blaztox e Lilluane, entraram no Café, e encontraram a mesma carta.
- Agora ela vai ao Parque dos Puffles! - exclama Lilluane.
- Sim, e aposto que isso é uma armadilha do assassino! - diz Rico.
- Ele deve ter sequestrado o Bryan, e colocou essa carta aqui se passando por ele, só para a Bili ir lá! - conclui Sponge.
- Então o que estamos esperando?! Vamos logo ao Parque dos Puffles salvar a Bili! - diz Blaztox.

Parque dos Puffles, Club Penguin, 18:40.

Já estava de noite, e Bili chegava no Parque dos Puffles.
- Bryan?! Cade você?! - grita Bili, tentando encontrar Bryan.
Ela começou a ficar desesperada. Depois, viu um vulto preto, atrás de uma árvore.
- Bryan?! É você?! Aparece logo, estou com medo. - diz Bili, preocupada.
De trás da árvore, sai o assassino, com a máscara e o capuz dele, e também com uma faca na mão. Bili ouve um grito, era do Bryan.
- Bili, corra! - grita Bryan, que parecia estar preso em um arbusto.
O assassino se aproximava de Bili cada vez mais, e ela estava apavorada, então começou a correr, e o assassino também. De repente, apareceu Rico, com uma barra de ferro, e pulou no assassino para bater nele.
- Toma essa! - diz Rico, batendo no assassino com o ferro.
Logo atrás dele, vinha Sponge, Blaztox e Lilluane, e Bili respirava aliviada. 
- Já liguei para a polícia, eles estão vindo! - diz Blaztox.
Todos começaram a ouvir o barulho da sirene da polícia, e o assassino escapa de Rico, e foge para trás dos arbustos. 
- E o Bryan?! Onde está ele?! - pergunta Sponge.
- Ele sumiu, não encontro ele em nenhum lugar. Mas, ouvi um grito dele atrás dos arbustos. - responde Bili.
Logo em seguida, chegou o Xerife Seyne.
- Pai! - exclama Lilluane.
- Se acalmem, vamos resolver a situação. Para onde o assassino foi?! - pergunta Seyne.
- Ele foi para trás dos arbustos, e a Bili ouviu um grito do Bryan naquele local também. - responde Sponge.
Então o Xerife e a sua equipe foram procurá-los. Bili, Rico, Sponge, Blaztox e Lilluane estavam muito tensos, até que ouviram o Xerife Seyne falar alguma coisa.
- Venham! Encontrei o pinguim! - grita Seyne.
Os pinguins foram até o Xerife, e lá estava Bryan, amarrado em uma cadeira, com os olhos roxos e leves cortes na nadadeira. 
- Bryan! - grita Bili, correndo para abraçá-lo.
- Bili! Parece que vamos ter que deixar nosso encontro para outro dia. - diz Bryan, ironicamente.
- Sim! - responde Bili dando gargalhadas.
- Bryan, tem certeza de que não quer ir no hospital? Você está com vários cortes no braço... - diz Seyne.
- Tenho sim. Nada que um curativo não resolva. Só preciso de ajuda para que alguém me leve até meu iglu... - responde Bryan.
- Eu te levo! - disse um policial.
- Quer que eu vá também? Você está todo machucado, precisa de ajuda! - pergunta Bili.
- Não precisa... estou bem. - responde Bryan.
- Tá bom... - diz Bili.
Então, o policial levou Bryan para o seu iglu. Quando a polícia terminou de investigar, e não encontrou o assassino, os pinguins voltaram para os seus iglus.
- Será que você pode me dar uma carona até o meu iglu, Xerife Seyne? - pergunta Blaztox.
- Posso sim. Venha comigo, com a Lilluane e com a Bili. - responde Seyne.
- Eu vou com o Sponge. - diz Rico.
Quando os pinguins estavam indo embora, viram os arbustos do parque pegarem fogo, Seyne e sua equipe foram ver o que era. Aconteceu uma explosão, e o fogo começou a se espalhar. Seyne ligou para os bombeiros, e os pinguins viram um vulto. Era o assassino. Rico pegou a barra de ferro, quando foi bater nele, o assassino segurou o ferro, e o arremessou para longe. Depois, o assassino pegou uma faca, e fez um corte na barriga de Sponge. 
- Não! - grita Bili.
Blaztox pegou uma arma do Xerife, e atirou no assassino. Acertou bem no ombro dele, então, ele raptou Sponge, e fugiu. Bili, Blaztox e Rico, correram atrás dele, mas, nessa hora, o assassino já havia sumido com o Sponge.

E aí, pinguinzada, gostaram desse capítulo? O que será que vai acontecer com Sponge? Pra onde que o assassino levou Sponge? Descubram no próximo capítulo... Até mais e... Pinguinando!